Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Treina em Casa

Programas e treinos que podem ser executados em casa.

Treina em Casa

Programas e treinos que podem ser executados em casa.

Dica de Sexta #12

 

Esta semana começamos a falar de alguns temas que vão influenciar o nosso comportamento físico e que podem ser um obstáculo à construção do nosso corpo de sonho.

6f5faf_e0cf8c4b161e4269b960815d050d5b08_mv2.jpg

 

Fome ou vontade de comer: quem nunca ficou parado na frente do frigorífico ou da dispensa sem saber o que comer, ou até mesmo sem saber se está realmente com fome? Você já teve aqueles dias em que não tirava uma comida específica da cabeça, como se já tivesse acordado com vontade de comer aquela pizza no jantar?

 

Realmente isso é comum acontecer, mas existe uma explicação e uma forma saudável de lidar com esses hábitos que não contribuem com nossa dieta ou rotina alimentar. Agora vai entender um pouco mais de como funciona o mecanismo da fome em nosso corpo.

 

Fome, o que é?

Fome é uma sensação fisiológico que nosso corpo tem para nos indicar de que precisamos de alimento para nossa sobrevivência. Esse mecanismo é controlado por um hormônio, chamado grelina, que é presente no estômago e liberado em torno de 3 a 4 horas após as refeições para sinalizar ao cérebro que já está na hora de nossa próxima refeição.

 

Existem sintomas que nos ajudam a identificar a fome: estômago “roncando”, tonturas, fraqueza (podendo chegar ao desmaio), humor alterado e dores de cabeça. Como cada indivíduo sente as suas necessidades de forma única, podemos alguns outros sinais para indicar a fome.

 

Esse estímulo hormonal de fome é modificado em duas etapas:

Quando mastigamos o alimento: o movimento da mastigação já liberta um primeiro sinal ao cérebro de que estamos nos alimentando e que, portanto, não precisa mais enviar estímulo de fome.

 

Quando o alimento chega ao estômago, ou seja, aproximadamente 20 minutos após começarmos a comer: neste momento o corpo produz um sinal de saciedade, indicando que não precisamos comer mais.

 

Sendo assim, a importância de se alimentar devagar é a de deixar nosso corpo absorver a informação de que estamos nos alimentado, para cortar o sinal de fome e liberar o de saciedade, e evitar que precisamos de mais alimentos que o necessário para nosso organismo.

 

Se não está acreditando, vou fazer-lhe uma pergunta: você já foi em um rodízio de comida em que os pratos demoravam para chegar e você ficou satisfeito com menos comida que o seu habitual? Essa demora em servir o alimento foi suficiente para que o sinal de saciedade fosse activado.

 

Então na próxima dica vamos perceber se a vontade de comer existe.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.